Que vergonha, senhores congressistas

Câmara e Senado fecham acordo para elevar salários para R$ 24.500

Li hoje uma notí­cia na Folha Online que me deixou estarrecido. E furioso.

Eu acho que todo mundo merece ganhar bem. Congressistas então, ainda mais para não decidirem leis de forma venal (posso estar sendo irônico agora).

Contudo, aumentar em 100% os salários é algo abominável.

  • Quanto os aposentados, que trabalharam uma vida inteira, receberam de reajuste?
  • O que dizer dos funcionários públicos, há anos – desde o iní­cio da era FHC – sem um aumento decente? Nem mesmo o promesseiro Lula fez algo em troca.
  • E o salário-mí­nimo nesta nação?

Me parece uma atitude completamente IMORAL este aumento.

Mais: lembrando que são os mesmos envolvidos que absolveram (quase) todos os seus colegas no caso do mensalão, nas fraudes das ambulâncias, da grana da cueca, etc.

Esse CONGRESSO não merece nosso crédito. É uma vergonha. É um deboche e um acinte com o povo brasileiro.

Se fossemos argentinos, estarí­amos estourando bombas até reverter esta situação, neste quadro de humilhação impingindo a todo e qualquer trabalhador e empresário do Brasil. Afinal, lembro, somos nós que iremos pagar essa capiangagem.

Como não somos castelhanos, vamos fazer um campanha para, já que não podemos moralizar este congresso, ao menos impedir esse absurdo.

Lembro: todas as assembléias estaduais, câmaras de vereadores, etc também receberão reajustes proporcionais, pois há um efeito cascata de proporcionalidade ao salário dos congressistas.

E o povo?

É hora de reclamar, berrar!

Colocar post em blog, comentar, xingar.

Impedir esse absurdo!

Abraços

El Cohen, irritadí­ssimo

4 comentários em “Que vergonha, senhores congressistas”

  1. Isso prova uma coisa, vem eleição, vai eleição, as promessas se repetem, vota-se em marketing, o presidente fica perdido, os deputados nem tanto, então fazem ISSO.

    Ã? lamentável!

  2. Da Folha On-Line, 19/12/2006
    Apesar da pressão, Aldo e Renan mantêm aumento

    Presidentes do Senado e da Câmara só recuarão se protestos aumentarem

    Aldo diz que é obrigado a aplicar a decisão tomada por líderes dos partidos de elevar vencimentos em 91% para a próxima legislatura

    Super-espertos, hein?

    Em plena semana de Natal, depois férias coletivas do povo, em seguida verão, quem é que vai se mobilizar contra essa yuta sem-vergonhice?

    🙁

    El Cohen

  3. http://uolpolitica.blog.uol.com.br/
    19/12/2006

    Supremo derruba aumento de 91%

    O Supremo Tribunal Federal acaba de conceder, por unanimidade, uma liminar (decisão provisória) para que as Mesas da Câmara e do Senado se abstenham de editar aumento de subsídios de congressistas com base no decreto 444.

    Essa decisão do STF (aqui a notícia oficial do tribunal) derruba, na prática, o aumento de 91% que os congressistas se autoconcederam na semana passada. Agora, para que possam ter um aumento, os deputados e os senadores terão de editar um novo decreto legislativo a respeito do tema.

    A decisão do STF foi dada em resposta ao um mandado de segurança 26.307 assinado pelos deputados Carlos Sampaio (PSDB-SP), Fernando Gabeira (PV-RJ) e Raul Jungamann (PPS-PE). Eles pediam especificamente que fosse revogado o aumento de 91%. Na parte da manhã, o Supremo já havia indicado o caminho ao considerar sem efeito o decreto legislativo 444, de 2002, e usado pela direção do Congresso para se autoconceder um aumento salarial.

    Em condições normais de temperatura e pressão, um decreto desses pode ser votado e aprovado por acordo de líderes partidários. Dado o clima atual contrário ao aumento, é muito difícil que o Congresso resolva assumir tal risco.

    No Congresso, os presidentes das duas Casas, Renan Calheiros (Senado) e Aldo Rebelo (Câmara), terão de decidir até amanhã o rumo a ser tomado. Ã? que depois Brasília ficará vazia e não haverá quórum para decisão.

  4. Segue a baixaria envolvendo políticos:

    Folha de São Paulo, 21/12/2006
    Assembléia aprova pensão para Zeca do PT

    Governador de Mato Grosso do Sul, que deixará o cargo após oito anos, receberá benefício vitalício e mensal de R$ 22,1 mil
    Emenda à Constituição do Estado foi um pedido do petista a deputados; OAB local estuda entrar com ação no STF contra a decisão

    HUDSON CORRÃ?A
    DA AGÃ?NCIA FOLHA, EM CAMPO GRANDE

    A Assembléia Legislativa de Mato Grosso do Sul aprovou ontem, em votação secreta por 18 votos a 6, o pagamento de pensão mensal e vitalícia para ex-governadores do Estado. A medida atendeu pedido do governador José Orcírio dos Santos, o Zeca do PT. Ele deixará o cargo em janeiro, após oito anos no poder, e ficará sem mandato eletivo. Mas, pela decisão da Assembléia, continuará recebendo R$ 22,1 mil por mês, seu atual salário.

    Alguém pode me explicar por que esse sujeito, após oito anos como governador, merece PENSÃ?O VITALÍCIA? Por que não volta a trabalhar como qualquer outro cidadão deste país?

    Chega de maracutaias!

    El Cohen

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.