Reges Bronzatti senta a pua no governo estadual

Reges Bronzatti, presidente da Assespro RS, dá um cutucão no governo estadual do Rio Grande do Sul

Antes de tudo, esse texto é minha interpretação das cousas. Hoje é dia primeiro de março de 2011 e foi publicado artigo do Reges no jornal Correio do Povo aqui dos pampas.

Pua” pra quem não sabe, é como a gauchada chama uma espora de aço que se põe nos galos de briga. Coisa de antigamente. Mas cuja expressão permaneceu com o passar dos tempos.

E fato é que o Reges, desde que assumiu a presidência da associação representativa das empresas de TI, vem lutando junto ao governo estadual por um espaço maior de nosso segmento nos conselhos setoriais que o mesmo organiza para ouvir a sociedade e definir o futuro de nosso estado.

Você lerá no artigo que copiei do jornal, que TI tem uma expressão muito forte na economia mundial, porém, parece que o governo está cego para tal movimento global.

Por isso, dá-lhe Reges!!! Conte com nosso apoio!

Leia o texto na í­ntegra

 

É hora de discutir tecnologia de futuro

O famoso guru da administração moderna, Peter Drucker, afirmava: “O planejamento não diz respeito a decisões futuras, mas às implicações futuras de decisões presentes”. O Rio Grande do Sul, nos últimos 30 anos, tem se esquivado de colocar em sua pauta principal uma visão de crescimento embasado em altas tecnologias. Esta geração já paga um preço alto por omissões passadas. Nosso futuro passa, hoje, obrigatoriamente, por este tema, sob pena de permanecermos um Estado estagnado ou deficitário e ancorado na exportação de commodities agrí­colas.

Os paí­ses ricos entendem este conceito e o praticam à exaustão. Investem de forma maciça na pesquisa cientí­fica e tecnológica alicerçadas em um sistema educacional de qualidade. Por exemplo: nos vendem um chip de computador, que pesa 5 h, por US$ 200,00. Para pagá-lo, precisamos exportar 100 kg de carne de frango. A fabricação deste chip criou, na cadeia produtiva, milhares de empregos qualificados com média de remuneração superior em até dez vezes aos ganhos das poucas centenas de vagas criadas aqui. É desproporcional e inegável que os detentores do conhecimento tecnológico são, hoje, os legí­timos articuladores das grandes decisões econômicas globais. Dos dez maiores bilionários do mundo, hoje, segundo a revista Forbes, seis são ligados diretamente à área tecnológica, sendo quanto na área de Tecnologia da Informação. O Japão, por exemplo, é pobre em recursos naturais, mas é um paí­s rico, mesmo com território inferior ao gaúcho.

A dependência cientí­fica e tecnológica acarreta a dependência econômica, polí­tica e cultural. Somos ricos em recursos naturais, mas pobres em pesquisa e desenvolvimento tecnológico. Assim como as águas dos rios correm para o mar, as riquezas do mundo correm em direção aos paí­ses detentores do conhecimento tecnológico. Um sistema educacional forte e qualificado, alinhado a programas de incentivo à inovação e ao desenvolvimento de uma indústria local de altas tecnologias, é a melhor opção que temos para ampliar a matriz econômica do Estado e sermos realmente sobreanos nas nossas decisões sem recorrer a pedidos de empréstimos internacionais para pagar dí­vidas do passado omisso.
Sim, levará anos para obtermos bons resultados, mas se nunca planejarmos nosso futuro, se não soubermos onde queremos chegar, qualquer caminho ou resultado serve, inclusive o de morrermos de inanição.

Abrazon

EL Cohen

1 comentário em “Reges Bronzatti senta a pua no governo estadual”

  1. Robertinho, está uma delícia teu blog! Assuntos variados, muita opinião pessoal e, claro, bom humor, que sem ele não há saída.
    Congratulations!
    Kleber Diabolin.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.