Palestra no Grupo de Estudos ITIL RS

Resumo do papo com a galera que estuda – com muito afinco –  ITIL no Rio Grande do Sul

ge-itil-rsOntem à noite, novamente um momento chuvoso, como tem sido nos pampas sul-riograndenses, palestrei para o Grupo de Estudos ITIL RS.

Pra quem não sabe, é um conjunto de profisisonais das mais variadas empresas e locais do estado que se reunem periodicamente para debater questões da biblioteca ITIL. Ou seja, não se resume apenas à troca de mensagens na lista de discussão (e isso é bom pra caramba, essa troca digital). Mas também propicia encontros reais para se conhecerem e trocar experiências.

NOVO LIVRO: dos jeitos de cada um

Cada qual tem seu estilo e jeito de escrever.

assisSábado almoçei com o escritor Assis Brasil.

Mágico das palavras, aprendi muito com ele na sua oficina literária cuja duração foi de um semestre inteiro. Apesar de ser voltada para contos, aprendi muitas técnicas, várias utilizadas no meu livro “Implantação de Help Desk e Service Desk“.

Bueno, causo é que o Assis Brasil tem um hábito:

Sobre recompensas, punições e outras formas de motivação

Recompensas e punições estão se tornando método ultrapassado de motivar as pessoas a executarem seus serviços. A ciência agora aponta para autonomia, domínio e propósitos.

cerebroOK, dado o subtítulo acima, quero apresentar um novo conceito que vem sendo desenvolvido pela corrente de psicologia cognitiva.

Mais especificamente por Daniel Pink, autor do livro “A whole new mind“. No Brasil publicado com o título “Cérebro do futuro“.

Daniel – sempre calcado em experiências – demonstra que a teoria behaviorista de premiação e punição é útil para as tarefas simples que não exigem criatividade e outras habilidades abstratas.

Mas que não é útil para questões mais complexas.

Construindo um catálogo de serviços – 2

OK, vamos dar prosseguimento ao assunto da criação de um catálogo de serviços iniciado no artigo anterior da semana passada.

Em todo documento relativamente organizado, convém ter um sumário. Isso vai facilitar o acesso rápido aos tópicos que o leitor deseja conhecer.

Neste momento é bom realizarmos uma pequena pausa.

Maravilhoso seria se pudéssemos contar com um software que:

  • automaticautomatizasse as funções do catálogo
  • identificasse quem o está acessando para segmentar a visualização do mesmo (se o sujeito é da contabilidade, não aparecerão serviços prestados para a área de Recursos Humanos)
  • associasse a lista de serviços sob o ponto de vista do negócio com a lista de serviços sob o ponto de vista da tecnologia
  • mais uma série de facilidades que a tecnologia nos traz.

Construindo um catálogo de serviços – 1

Semana passada passeando por um blog encontrei orientações para construir um catálogo de serviços.

Oba, esse é um assunto que está bombando“, pensei. Vou ler.

Ploft. Tomei um susto.

dumbSenti-me um verdadeiro ignorante.

RTB, GTB, TTB, fit for purpose, fit for use, core business, batch, bla bla bla.

Katzo, eu entendi bem pouco das orientações. Creio que moro na classe “baixo nível corporativo”.

Então pensei que talvez eu não esteja sozinho. Imaginei: por que não arriscar escrever algum catálogo aqui, de maneira simples e compreensível pelos meus pares de classe?

ITSMF-BR de volta. De volta?

Todos sabem da importância do ITIL no Brasil. E no mundo.

Uma pesquisa feita em https://search.twitter.com/search?q=itil e você verá zilhões de resultados. Montanhas de gente das mais variadas empresas estudando e batalhando suas certificações em ITIL. E catando conteúdo baseado na biblioteca.

Por isso era enorme surpresa o fato do ITSMF (Forum OFICIAL de ITIL) no Brasil estar com seu site fora do ar (e não sabemos quantas outras atividades, já que um site é a vitrine da entidade para o mundo). Isso desde abril.

Já havia registrado tal decepção no artigo A pergunta que não quer calar.

computeworldE nessa segunda-feira abri a última edição da revista Computer World e fiquei feliz:

“itSMF retomar atividades – O mercado de TI precisa enxergar definitivamente que vivemos a era de serviços” – por Sergio Rubinato Filho, presidente da itSMF Brasil.

Uau… Resolvi colar aí ao lado a notícia da revista (clique nela para expandir).

Entre outras explicações, Rubinato indicou que o site estava fora do ar por razões “técnicas“.

E, curioso, fui até o site da entidade ver as inovações.

E o que encontrei lá?

Nino Albano e altruísmo

Introdução

friendster_64O dicionário diz que “altruísmo” é a inclinação da natureza humana instintiva que incita o ser humano à preocupação com o outro; ou amor desinteressado ao próximo; filantropia; abnegação. Também pode ser encarado como solidariedade.

Após ler o pedido desesperado de Nino Albano em seu blog, sob o título Alguem sabe onde eu compro aquele narizinho vermelho de palhaço? e citado aqui no meu blog no artigo de ontem, consegui suprir a necessidade desse famoso palestrante e educador corporativo da área de TI.

Tirei um peso da consciência.

Sei que vou dormir bem nesse final-de-semana.

Nessas horas de dor é que valorizamos os amigos!

Quando algo está ao nosso alcance para ajudar ao outro. E tomamos a iniciativa, abandonando nosso comodismo e gerando uma entalpia positiva no universo.

Do processo

Ontem, invadi seu hotel. Disse que era uma tele-entrega.

Resgatei-o e levei até minha residência para oportunizar que expressasse suas amarguras do referido (e péssimo) atendimento recebido.

É importante nessas horas ter um ombro amigo para chorar as lamúrias, expulsar as raivas e demais emoções.

Fotos

Vejam os momentos importantes desse encontro e como o Nino quase chorou de felicidade.

Palestra na SUCESU SP – 20/08 – como foi…

Salve.

ninoÀ noite vou buscar o Nino Albano prum churras lá em casa. Se bem que hoje é dia do psicológo e a patroa quer reunir amigas lá no apê e… Quando o mulherio se junta, melhor é manter distância.

De inhapa, brindarei ao mesmo com um nariz de palhaço.

Pedido de amigo a gente não rejeita (vide Alguem sabe onde eu compro aquele narizinho vermelho de palhaço?).

O Nino é a fera acima (quem manda deixar foto feia na internet?).

Super-conhecido no mercado corporativo de TI como o top-top do suporte técnico. Está ministrando um curso aqui no fim-do-mundo (Rio Grande do Sul) e convém demonstrar toda a hospitalidade gaúcha!

Oba, da palestra

Do Help Desk Day de Curitiba

Brothers,

A primeira vez que nosso evento tem um público tão pequeno (nove pessoas). Mas justificado.

No auge do pânico da gripe suína (18 de agosto), algumas pessoas já inscritas (e outras pagas), ligavam para cancelar sua participação. Ou por estarem no grupo de risco, ou por medo de contágio mesmo.

Pensei: caramba, essa será uma grande oportunidade de transformar o Help Desk Day num pseudo curso de gestão, pois teremos espaço para vários exercícios de dinâmicas de grupo. E não deu outra!